A Pá Ladina

Versão Beta
Close

Conheça o BarraDois, especializado em WoW e feito por fã curitibano

Entrevistamos o Diovanni, que explicou com mais detalhes sobre o portal BarraDois e o World of Warcraft.

Lançado em 2004, World of Warcraft revolucionou o mundo dos jogos MMORPGs e rapidamente se tornou um dos títulos mais populares do mundo, alcançando mais de 10 milhões de jogadores ativos e sendo até hoje um título muito cultuado por uma legião de fãs fieis.

E é claro que com todo esse tempo de estrada e o lançamento de oito grandes pacotes de expansão (o mais recente, Shadowlands, chegará em breve), o jogo conta com uma gigantesca quantidade de conteúdos e história que podem ser intimidadores para quem não acompanha o universo do game.

Foi assim que, pensando em ajudar essa comunidade, que o fã e jogador veterano Diovanni de Souza, da cidade de Curitiba, Paraná, criou em 2018 o site BarraDois, que tem como principal foco coletar informações e oferecer aos seus leitores guias detalhados além de um grande acervo de materiais publicados.

Conversamos com o Diovanni, que explicou com mais detalhes sua história com o BarraDois e com World of Warcraft, confira abaixo!

Shadowlands Gallywix Imagem
Shadowlands Gallywix Imagem

Olá Diovanni, faça sua apresentação para os nossos leitores.

Olá! Eu sou o Diovanni, tenho 31 anos e jogo WoW faz um bom tempo. Sou conhecido na comunidade com a alcunha de Xalasca. Na vida real sou desenvolvedor de software e editor chefe do BarraDois. No jogo sou um Xamã profissional que apesar de ser um Draenei, tenho fortes ascendências goblínicas.

Como você conheceu WoW?

Eu jogo RPGs desde minha infância. Um primo mais velho ensinou e esta atividade me acompanha em minha vida desde então. Quando a internet começou a se popularizar – e neste momento eu já jogava muito RPGs nos consoles – conheci os primeiros jogos online e especialmente um fórum de criação de jogos, a Maker Universe. Fiz amizades e conheci vários RPGs massivos, além de tentar criar os meus. Foi lá que ouvi a primeira vez falar de World of Warcraft.

O ano era 2005 e vivíamos jogando games como Ragnarok e MU Online. Um dia, num dos tópicos do fórum, um amigo falava sobre “WOW É ROX E TODOS SEUS ARGUMENTOS SÃO INVÁLIDOS”. Ali, naquele tópico mal escrito por um adolescente tive meu primeiro contato. Porém, apenas alguns anos depois, fui efetivar minha conta, comprar o game e começar a jogar, por insistência (ininterrupta) deste mesmo amigo. Isto foi em 2011, meses antes do lançamento oficial no Brasil.

WoW Xalasca Screenshot 01
WoW Xalasca Screenshot 01

Como surgiu a ideia de criar o BarraDois? Você já tinha criado outros sites antes?

Eu sempre gostei de criar conteúdo para ajudar as comunidades das coisas que eu gostava. Quando participava daqueles fóruns de RPG Maker, criava tópicos explicando como programar mecânicas e falando de várias técnicas de gerenciamento. Eu era aficionado por isso. Tive posteriormente alguns sites de criação de jogos, mas apesar de gostar muito, já não tinha muito público. Então, em 2014 parei de tentar de gerar conteúdo e me dediquei só a me divertir.

Mas uma coisa que eu sempre fiz foi ajudar os amigos a fazerem coisas que tinham dificuldades. Por muito tempo trabalhei como professor, diretamente com adolescentes, e isso me permitiu a ter acesso a toda uma linguagem propícia a ensinar. Além disso, por ser mais velho que a maioria dos que jogavam comigo, acabava tendo um papel de mentoria no grupo. Nos grupos, além de ensinar, sempre brinquei com o photoshop, tirando prints do jogo e fazendo charges, ou editando foto dos amigos e colocando eles em situações que faziam referência as vivências online.

Neste background, meu desejo de criar conteúdo nunca se esvaiu, sempre esteve ali. Eu gostava muito de World of Warcraft e gostava muito de ensinar. Aí veio a ideia de fazer algo que unisse os dois. O lado brincalhão também influenciava a construção, então nessa maré de ideias e vontades, surge o BarraDois.

O nome é inspirado no chat de comércio, local dentro do jogo que ocorre além das transações também as zoeiras. Além disso, toda a estética e linguagem foram pensadas na premissa de que um grupo de goblins havia criado um cartel para controlar o comércio, a comunicação e a casa de leilões. E como o comércio gira em torno do gold, estava fechado o conceito de cores, formas e linguagem.

A página do Facebook surgiu em fevereiro de 2018, após uns meses de estudo e desenvolvimento e o site chegou ao mês de Julho do mesmo ano.

Qual o seu papel no site? Quantas pessoas participam?

No grupo eu tenho a atuação de editor chefe, designer e programador. Sou eu quem criou toda a identidade visual, a programação do tema e a construção da linguagem. Escrevo sobre conteúdos futuros, notícias e guias em geral, além de produzir todos os materiais gráficos vinculados.

Já tivemos vários colunistas durante o tempo e atualmente, além de mim, o Patrick Manaia (Kfour) participa como Diretor de Conteúdo e Marketing, trazendo sua expertise para o portal, além de escrever sobre a história e guias. A Fernanda (Fier) é redatora e escreve também sobre história.

WoW Xalasca Screenshot 02
WoW Xalasca Screenshot 02

Quais as maiores dificuldades de manter um site igual o seu?

A principal dificuldade de produzir conteúdo autoral é fazer tudo ser produzido com qualidade e com velocidade a tempo de estar ainda em voga. O site, apesar de ser encarado como um trabalho, não é remunerado e assim precisamos ter outros trabalhos para pagar as contas. É muito importante que tudo seja bem escrito, formatado, editado e validado para o SEO. Então, enquanto em redes sociais é fácil postar algo só compartilhando, o trabalho em site não é tão simples e toda a atenção é necessária.

O que os fãs podem encontrar no BarraDois? Quais as áreas mais acessadas?

O BarraDois possui em seu acervo dezenas de materiais publicados exclusivamente de World of Warcraft. É possível encontrar guias para todas as raides da última expansão, guias para conseguir montarias raras, guias para coleta (famoso farm) de gold. Também temos uma área dedicada com muito carinho a história do jogo, contando desde a formação do mundo até a história dos mais variados heróis. Existe uma área sobre o WoW Clássico contendo diversos posts e guias para acessar o conteúdo, desde armas clássicas até dicas de escolha de classes e raças. Como o site é composto sempre por amantes do game, as áreas de opinião refletem pensamentos e discussões que acontecem na comunidade, e claro, a área de roleplay permite falar sobre este assunto, além de imaginar coisas que poderiam vir ao game.

WoW Xalasca Screenshot 03
WoW Xalasca Screenshot 03

Com 16 anos no mercado, WoW possui toneladas de conteúdo interessantíssimos, como você escolhe quais assuntos abordar no site?

O BarraDois é um site que aborda tudo sobre WoW, então, se é sobre este game, tem que estar no site. Porém, devido à falta de mãos e tempo, é preciso filtrar um pouco por interesse da comunidade. O hype por uma nova expansão é algo que chama muito a atenção das pessoas e por este motivo buscamos escrever. Quando falamos de guias, a decisão parte das dúvidas que encontramos nas redes sociais e no fórum, além de requisições de streamers parceiros. Como o site surgiu quando o game já tinha 14 anos, muita coisa ficou para trás. Desta forma, por um tempo, um colunista fazia uma “timewalking” (termo do jogo para realizar tarefas das antigas expansões) e criava algo relacionado. Inclusive, revisitar o que já aconteceu é uma das pautas futuras.

O que você achou do lançamento de WoW Classic? O que os fãs podem encontrar no BarraDois sobre ele?

Sinceramente achei uma jogada muito inteligente da Blizzard. O WoW clássico fez parte da vida de diversas pessoas e tem toda uma magia nostálgica dentro da comunidade. Tanto que diversos servidores piratas foram criados com essa temática. Ao criar um servidor clássico com a conta vinculada ao WoW atual, a Blizzard trouxe toda a experiência clássica com a segurança de um servidor oficial.

No BarraDois é possível encontrar diversos guias para o jogo, desde guia das raides e masmorras, guias para conseguir armas raras, guias para missões, guias para attunement, a história do game neste momento, além de colunas de opinião e notícias com as novidades que chegam nas fases.

WoW Xalasca Screenshot 04
WoW Xalasca Screenshot 04

E qual a sua expectativa para a expansão Shadowlands?

Confesso que estou muito confiante e motivado para a chegada desta expansão. Quando vi o trailer pela primeira vez, bom, ele não foi bem do meu agrado, porém, ao começar a receber as notícias das novas mecânicas do jogo e entender a história, comecei a ficar um pouco mais interessado. Ao longo das novidades anunciadas, o sentimento de hype foi crescendo e ao chegar do alpha minha vontade de viver aquela experiência era muito maior.

Logo nos primeiros passos no alpha de Shadowlands eu já estava embarcado na frente do hypetrain. Shadowlands conseguiu me trazer aquele sentimento de exploração, de desconhecido, de ser apenas um aventureiro dentro de um mundo muito maior, coisa que Battle for Azeroth não conseguiu me fazer sentir. Dentre tudo, a diminuição dos níveis e a redução da escala foi o que mais me motivou a embarcar. E ainda, quando as novidades das personalizações começaram a chegar aos servidores, eu tive a certeza de que esta pode ser a melhor expansão dentre todas as últimas que saíram.

O que WoW significa na sua vida? Quais suas melhores recordações com o jogo?

No começo era apenas outro jogo online, dentre vários que já havia jogado. Porém, ao jogar um pouco mais e se aventurar com atenção, comecei a criar um vínculo maior, principalmente devido à experiência imersiva e narrativa que este possui. Ao participar de grupos e guildas, conheci pessoas incríveis, divertidas, inteligentes e nestes casos, o multiplayer massivo e online se faz valer de verdade. É nestes momentos que você entende o quão incrível é.

Por isso, é fácil se conectar ao jogo. E quando tudo isso é incrivelmente bom e divertido, os problemas da vida real, por vezes a solidão que sentia e o isolamento que tinha, se tornavam irrelevantes. Azeroth era e é um lugar que me aproxima de amigos, me conta histórias incríveis e faz tudo ser divertido e leve, um lugar incrível para passar um tempo bom.

Tenho várias recordações fantásticas devido ao game. Eu e meus amigos conseguimos lotar uma sala de cinema para assistir a estreia do filme Warcraft só com quem era de nossa guilda. Encontrei-me diversas vezes com pessoas que conheci dentro do jogo, da minha cidade e até de outros estados, só para passar um tempo offline. Dentro do jogo algumas conquistas marcantes como ser o primeiro do servidor ao finalizar uma raide (cof cof por 6 vezes), ou conquistar títulos dificílimos.

Acho que a principal recordação que tenho dessa época foi durante o evento de comemoração de 10 anos de WoW. Naquele tempo, foi liberado fazer a raide Núcleo Derretido para enfrentar o Ragnaros no nível máximo (era o 100). Juntei com alguns amigos de guilda e entramos para a raide. A cada novo chefe, os líderes explicavam em inglês tudo o que era para fazer para não dar nada errado. Eu, que estava com preguiça de ler, saia durante as explicações e ficava vendo a internet. Em um dos chefes, enquanto visitava alguma coisa na internet um amigo chamou no jogo.

Entrei e vi que estavam todos sentados em volta do líder enquanto ele explicava. Na hora me lembrei do lendário Leeroy Jenkins e sem titubear escrevi no chat “OK LETS GO, LEEEEEEEEROOOOOOOOOY” e ataquei o chefe. O pessoal que estava conversando no chat de texto começou a ficar desesperado, se armaram todos e começaram a bater no inimigo, enquanto meus amigos – que estavam no chat por voz – riam horrores. Alguns dos jogadores pediam para me tirar do grupo, mas a maioria começou a rir e então matamos o chefe. Ao finalizar, o pessoal riu muito e ficou mandando mensagens agradecendo o momento único e eu claro, ri muito.

WoW Xalasca Screenshot 05
WoW Xalasca Screenshot 05

Quais são os planos futuros para o site?

Nos próximos meses temos o plano de ampliar o quadro de redatores para ter mais pessoas para cobrir novidades e escrever guias de conteúdos que estão nos servidores de teste. Além disso, estamos desenvolvendo algumas ferramentas para os jogadores, com diversos focos. Vamos lançar uma ferramenta de gerenciamento de grupos, o corer. Também vamos lançar uma versão interativa da linha do tempo escrita pelo Patrick Kfour, com o objetivo de servir de guia de leitura para as diversas histórias do jogo. Existe uma terceira ferramenta sendo desenvolvida, A Bolsa de Valores de Kezan, cujo objetivo é ajudar os jogadores a buscarem os preços dos produtos na casa de leilão, bem como, anunciar seus próprios itens a venda dentro do jogo.

Em termos de negócio, o plano é ampliar as parcerias com streamers, para divulgação de nosso conteúdo nas lives e ampliar os números dentro das nossas ferramentas. Temos um plano de monetização via catarse em desenvolvimento que deve chegar entre agosto e setembro. Por fim, em um plano futuro, minha utopia é transformar o BarraDois no site referência de World of Warcraft na América Latina.

Como um jogador veterano de WoW, quais dicas você daria para quem está entrando nesse universo?

Não tenha medo, você também é um herói de Azeroth. Não tenha medo de perguntar, de interagir, de buscar fontes de informação, de se juntar a grupos e de interagir. O jogo é grande, complexo e com muitos detalhes, mas a comunidade que o sustenta é fantástica. Jogadores veteranos vão lhe ajudar a chegar aos objetivos mais difíceis e assim, um dia, você vai se tornar um também.

World of Warcraft é o maior MMORPG de todos os tempos, com uma história riquíssima e incrível, com heróis e vilões, com diversas formas de jogar e viver em seu mundo, então, saiba que desde o momento que você cria sua conta você já faz parte dessa história.

WoW Xalasca Screenshot 06
WoW Xalasca Screenshot 06

Alguma história curiosa/interessante do site ou com o jogo que gostaria de compartilhar?

Já dei muita risada com os amigos jogando, diversas histórias vivenciadas que deveriam garantir uma boa conversa de bar (Noddi, estou falando com você e sua sardinha com avelã). Mas acho que uma das coisas engraçadas que vivi foi quando eu comecei a guiar algumas pessoas para fazer uma “Missão Secreta na Cratera Un’goro”. O contexto era que existia um rapaz que ficava fazendo a mesma pergunta todo dia, querendo saber como pegar uma montaria que não existia. Então, num dia sem muita paciência, inventei que era preciso ir nesse local – a Cratera Un’goro é um mapa remoto e pouco acessado atualmente – e matar 1000 dinossauros elite para acumular um buff invisível. Com este buff, era preciso fazer diversas outras atividades inexistentes para enfim, ao enfrentar um último inimigo falso, conseguir a tão desejada montaria.

Eu inventei isso pela manha de um sábado e o rapaz ficou feliz, disse que iria lá fazer. Lá pelas 14h, eu vou olhar na guilda e tá lá o menino no mapa em questão. À noite, perto das 20h, todos estavam prontos para a raide, se aquecendo e conversando no discord quando o menino entra e me solta:

– XALASCA, TO QUASE CONSEGUINDO MATAR 1000 DAQUELES DINOSSAUROS, O QUE PRECISA FAZER AGORA?

O discord virou uma algazarra de risos e esta “missão secreta” virou um meme interno, que depois acabou se espalhando por algumas outras guildas e talvez vários outros já devam ter ido lá no farm falso dos dinossauros elite.

Jornalista de games, cultura pop e nerdices em geral. Email: marcio.pacheco@cardnamanga.com.br . Twitter: @MarcioAPacheco