A Pá Ladina

Versão Beta
Close

Vamos relembrar os eventos de pré-patch das expansões de World of Warcraft

Relembre os eventos de pré-patch das expansões de World of Warcraft!

Vem chegando o final de uma expansão e aquelas pessoas que já estão por aqui se aventurando em Azeroth sabem como é o esquema. Primeiro ficamos na ansiedade com a chegada da Blizzcon, onde sempre rola anúncio de grandes novidades para o jogo. Normalmente é nela que temos os primeiros vislumbres de uma nova expansão, de novas aventuras e lugares desconhecidos. Mas este ano não tem BlizzCon e ela acontecerá Online no começo de 2021. Uma coisa que sempre gera curiosidade nos jogadores são os eventos que precedem as expansões e hoje daremos um passeio com a nossa amiga Crona para relembrar esses eventos “pré-patch”


Invasões que não estavam preparadas - The Burning Crusade

Era o começo do ano de 2007 e o grande evento que a Blizzard nos agraciou foi a abertura do Portal Negro, onde centenas de demônios entravam em Azeroth em grupos totalmente despreparados para o que os esperava do lado de cá. Como era um mundo bem diferente de hoje, esses demônios que aqui chegavam encontravam grupos e mais grupos e outros tantos grupos de aventureiros sedentos por suas almas. Pois o lado de cá do Portal Negro virou uma verdadeira festa das magias em área para ver qual grupo de jogadores conseguia acertar primeiro o demônio recém chegado e com isso conseguisse completar a sua missão, após 6 mortes. Mas é aquilo né, quem é que não ficaria ali naquela confusão de magias em área para conseguir uma incrível Tabarda de uso exclusivo?
Além da abertura do portal, foi introduzido o nosso caro Highlord Krull, que entrou para substituir o velho Kazzak que se mudou para Península Fogo do Inferno.
Uma das grandes diversões que os jogadores tinham com esse grande figuraça era levá-lo para uma cidade e vê-lo tocar o terror, visto que por conta de algumas habilidades suas, ele ficava quase virtualmente impossível de ser morto. SO MUCH FUN, RIGHT? :D
Foi com a chegada do Burning Crusade que fomos introduzidos às novas raças: Draeneis e Elfos Sangrentos.


Mortos Muito Loucos por todo lugar - Wrath of the Lich King

Após tanta cruzada aquecida, chegamos ao final de 2008 e várias especulações de que alguma coisa relacionada a mortos-vivos iria acontecer. Por uns dias várias caixas suspeitas começaram a aparecer em Angra do Butim e aquele aventureiro que fosse suficientemente curioso acabaria caindo infectado pela praga! A pessoa infectada tinha 10 minutos para achar alguém capaz de curar doenças, caso contrário essa alma brilhosa morria para virar um zumbi. A cada dia a infecção era mais rápida e menos tempo havia entre ser infectado (por uma caixa ou um zumbi) e se transformar em um miguxo putrefato. Além de jogadores, NPCs também podiam ser infectados. Era um terror tentar passar por alguma grande cidade e sair de lá sem ser tocado pela praga, pois muitos jogadores ficavam de tocaia esperando alguém aparecer para ser transformado em zumbi. Muito desse evento lembrou o bug da praga que aconteceu ainda na época do Vanilla com o Chefe de Zul’Gurub.
Foi terrível e magnífico esse evento, pois haviam grupos e mais grupos de jogadores que simplesmente invadiam outras cidades para espalhar o Caos. Lembro que na época estava upando a minha maga e por acaso peguei um voo e coloquei para pousar na cidade capital por engano, pois era para ter ido para fora… o desespero ao pousar na cidade e dar de cara com aquelas pilhas de esqueletos e horda de zumbis.
E vamos lembrar, isso era ainda na época do Burning Crusade, muita coisa diferente de hoje em dia. Tipo, magos não podiam simplesmente criar portais. Existiam certos reagentes para isso que eram vendidos por NPCs, lembra que falei acima sobre os npcs nas cidades? Pois é.
Mesma coisa valia para Xamãs e suas reencarnações. Acessar leilão, ou Campos de Batalha? Nope, sem NPCs também.
E vamos lembrar também que, voar era uma coisa CARA de se conseguir, então não era todo mundo que podia fugir voando em Terralém. Isso porque era apenas lá que podíamos voar. Em Kalimdor e Reinos do Leste era tudo feito no chão. Pensa!
Claro que, depois de uns poucos dias uma cura surgiu e outra fase do evento começou, com invasões tendo lugar dentro das cidades capitais de cada facção. 

Dê uma espiada nesse vídeo da época:



Outro aspecto legal era que havia um chefe especial que apareceu dentro de Karazhan, ele dropava uma mascote Morceguinho Vampírico e a clássica Estripador de Arcanita.


Revoluções e o Fim do Mundo - Cataclysm

No final de 2010 chegava a hora do Cataclisma acontecer e com ele tivemos vários eventos que precederam o despertar do Asa da Morte. Nessa época começamos a ver o primeiro movimento para dar uma revitalizada nas raças Trolls e Gnomos. Também tivemos o levante de Zalazane onde os trolls tiveram que lutar para reaver sua morada em Ilhas do Eco, ao mesmo passo que na aliança os Gnomos retomavam Gnomeregan das mãos de Thermaplugg e seus gnomos leprosos. Ou pelo menos a parte superior/externa da cidade que não havia sido infectada.
Aqui videos dessas aventuras:




Após isso começou a rolar “invasões” de cultistas espalhando palavras e terror sobre o fim do mundo. 

Com o passar dos dias, elementais começaram a surgir e a tentar invadir as cidades capitais e vários Portais começaram a surgir em todos os cantos do mundo com elementais furiosos saindo de dentro deles e quebrando o pau com todo mundo.

Na fase final dessas invasões era o terror ser nível baixo, já que não existia isso de escalonamento de nível e os invasores fossem todos do nível máximo na época. O que poderia ser feito era, criar barricadas para defender a cidade da fúria elemental. Caso a defesa fosse um sucesso, um novo portal aparecia e dele aparecia o que? Claro, um mega elemental mais forte. Mentira, na verdade só aparecia o portal e você precisava acessá-lo para poder ir atrás desse Lord Elemental.

Não menos importante, foi com a chegada do Cataclisma que fomos apresentados às duas raças novas: Goblins e Worgens.
Também foi aqui que voar em Azeroth passou a ser possível.


Brigas, Comidas e Bombas de Mana - Pandaria

Em setembro de 2012, temos o evento que veio precedendo Pandaria que ficou devendo em diversão, apesar de ter sido uma expansão muito legal. Fomos apresentados ao novo modelo de jogo que ficou conhecido como Cenários. Nesse caso, o cenário se dava em Theramore, cidade da Jaina em Kalimdor e que foi brutalmente atacada por ordens de Garrosh, começando assim mais um ciclo que passou a se estender durante boa parte da história de Pandaria.

O cenário era ligeiramente diferente para cada lado, mostrando a perspectiva de cada facção sobre como ocorreu a destruição da cidade. E foi basicamente isso. Quem fez na aliança ganhou uma Tabardo de Theramore.

Se você leu “Marés da Guerra”, já sabe o que aconteceu. E foi aqui que fomos reapresentados e passamos a poder jogar de Pandaren.

Confira nos videos abaixo o cenário da Queda de Theramore pela perspectiva de cada facção.






De Volta para o Passado em Draenor - Warlords of Draenor

Chegando ao final de 2014 temos a Blizzard brincando com aquele velho Portal Negro abandonado desde as cruzadas. O portal agora funciona em outra cor e ao invés de demônios, o que sai dele são orcs da Horda de Ferro, que começaram a tocar o terror no mapa Barreira do Inferno.
Abaixo segue um video em inglês mostrando como foi o evento.




Lá onde a Legião faz a curva - Legion

Em Agosto de 2016 deu início o evento antes da nova invasão da Legião em Azeroth. Esse evento não lembro se tem coisa mais marcante nele do que a capacidade que tivemos de upar personagens MUITO rapidamente através dos portais de invasões que surgiam em alguns mapas. Você conseguia upar MUITO rapidamente qualquer personagem, só voando de um lado para o outro e participando dos ataques aos invasores de outro mundo. Apesar de muito repetitivo, acabou sendo um evento mais interessante e até mesmo útil para muita gente do que os eventos das expansões anteriores.

Confira esse video mostrando como funcionava o evento:


A batalha dos questionamentos e seus tormentos aleatórios sem fim - Battle for Azeroth

Em julho de 2018, os tambores da guerra começavam a soar mais alto e fomos levados até a Costa Negra. A Guerra dos Espinhos (nome do pré-patch), nos levou a uma constante de batalhas e tomadas de partes da costa que ficava próxima a cidade capital dos Elfos Noturnos, Teldrassil.

Segue videos sobre



Acho que é válido dizer que, esse “evento” acabou passando muito batido da ideia de um evento como os anteriores, pois ele acabou sendo apenas uma continuação da história que já estava sendo contada anteriormente e seguiu com missões, missões mundiais, só que com evoluções semanais. Em todo caso, a conclusão dessa pequena campanha pré-expansão foi algo marcante no que diz respeito a profundidade, principalmente no lado da Aliança. Você entrar no meio da cidade élfica para salvar os habitantes e ser apresentado a uma impossibilidade daquelas é algo que ficou bem marcado. Quanto na Horda, só resta o terror de ter que seguir aquele plano apresentado sem opção de fazer qualquer coisa diferente. No fim das contas saímos com uma montaria em cada lado e talvez algumas horas pendentes de terapia.
E quem participou teve a chance de conseguir uma montaria em sua respectiva facção.

Hipogrifo de Teldrassil
Hipogrifo de Teldrassil
Quiróprago da Cidade Baixa Dilaceradas pela Guerra
Quiróprago da Cidade Baixa Dilaceradas pela Guerra

A Terra das Sombras que te Assombra - Shadowlands

Aqui tem uma prévia das novas invasões:


Quem aqui teve a oportunidade de vivenciar algum desses eventos pré-expansão? Quais foram suas experiências durante e o que você está esperando nesse próximo evento?

Siga a gente nas redes sociais:
✅ Instagram: www.instagram.com/apaladinawow
✅ Facebook: www.facebook.com/apaladinawow
✅ Twitter: twitter.com/apaladinawow
✅ Youtube: www.youtube.com/APáLadinawow
✅ Twitch: www.twitch.tv/apaladinawow

Jogador de World of Warcraft e escritor nas horas vagas. Twitter: @Tumular