A Pá Ladina

Versão Beta
Close

Conheça a Lore da Alta Sacerdotisa Tyrande Murmuréolo - Parte 3

Suma-sacerdotisa de Eluna, Líder dos Kaldorei, Cabeça da Irmandade de Eluna e do Exército da Lua Negra, Escolhida da Lua, A Guerreira Noturna...

Suma-sacerdotisa de Eluna, Líder dos Kaldorei, Cabeça da Irmandade de Eluna e do Exército da Lua Negra, Escolhida da Lua, A Guerreira Noturna...


Continuação da Lore de Tyrande Murmuréolo:

WoW Vanilla

A tratado de paz feito em Hyjal havia completamente desvanecido e a Horda e Aliança estavam novamente em guerra. Com os orcs novamente tentando expandir seus territórios em Vale Gris, Tyrande decidiu por unir-se a Aliança, tornando-se politicamente alinhada com eles.

Durante todo esse período O Pesadelo Esmeralda continuava a crescer e espalhar-se como uma infecção sem tratamento. Entre suas muitas vítimas Erânicos, consorte de Ysera e segundo em poder dentre todos os Dragões da Revoada Verde, foi corrompido se tornando o Tirano do Pesadelo. Ele liderou as forças do pesadelo contra a Clareira da Lua, o centro do Círculo Cenariano próximo a base de Hyjal.
Quando notícias de tal ataque chegaram a Tyrande ela liderou um grupo de Sacerdotisas em auxílio dos Druidas na clareira. E foi graças a ela canalizando a Luz de Eluna que possibilitou que Erânicos fosse liberto das garras do pesadelo. Sabidamente, Erânicos fica tão comovido por Tyrande conseguir livrá-lo do poder do pesadelo que foi movido a dizer ”Minha dama, eu não sou merecedor de vossa prece. Verdadeiramente, tu és um anjo de luz” naquela ocasião.

Fúria do Lich Rei

Quando Arthas acordou após cincos anos sentado no Trono de Gelo como Lich Rei pleno, Tyrande admitiu a ajuda da Igreja da Luz para defender Teldrassil dos ataques do Flagelo.

Durante a Campanha da Horda e Aliança em Nortúndria um grupo de Kaldorei Altaneiros chegou a recém construída Darnassus. Liderados por um poderoso Kaldorei Arcanista chamado Mordent Evenhsade, eles eram os Shen’dralar. um grupo de Kaldorei Altaneiros que haviam sobrevivido isolados desde a Cisao em Eldre’thalas (também conhecida como o Gládio Cruel). Eles haviam passado não há muito por um terrível genocídio ordenado por seu próprio líder Príncipe Tortheldrin. Aqueles eram os poucos sobreviventes que haviam conseguido escapar e que desejavam agora se reintegrar a sociedade Kaldorei. Apesar dos esforços de Mordent em conseguir uma audiência com Tyrande, a sacerdotisa se recusou terminantemente em recebê-lo.

Após a campanha em Nortúndria e a queda do Lich Rei, Tyrande começou a ter visões e pesadelos profetizando a morte de Malfurion. O que a levou a assumir a ir atrás do espírito perdido de Malfurion com as próprias mãos.

Sabendo que Fandral nunca a ajudaria de boa vontade, Tyrande buscou a ajuda de Broll “Bearmantle”, pedindo que ele fosse procurar pelo espírito de Malfurion e sugerindo que ele permitisse que Shandris, fosse com ele. Em verdade Tyrande se disfarçou de Shandris e foi ela mesma ajudar Broll.

A trajetória através do pesadelo e suas forças foi intensa e dificultosa. Broll e Tyrande foram ajudados por várias vezes pelas forças da Revoada Verde, mas estes constantemente caíam, corrompidos para o pesadelo.

Tyrande e Broll, com a ajuda de um humano chamado Lucan, descobriram aos poucos que Xavius não havia morrido inteiramente, mas sim se tornado uma árvore negra de corrupção, e como a única arma que poderia feri-lo, o Machado de Cenarius que pertencia agora a Thura, neta de Broxigar. Xavius havia manipulado a orquisa a acreditar que Malfurion tinha matado Broxigar e portanto Thura estava em busca de vingança.

Os planos de Xavius foram aos poucos se desfazendo após encontrar e libertar o espírito de Malfurion, o Lorde do pesadelo foi destruído com a ajuda de Thura. Com Xavius temporariamente derrotado Tyrande e Malfurion aprisionaram a ele e ao pesadelo na Fenda de Aln, no sonho.

Tyrande compareceu à cerimônia em honra a Magni quando este inadvertidamente se transformou em diamante quando praticando um ritual titânico. Seria nessa ocasião que Tyrande conheceria pela primeira vez Anduin.

Cataclismo

Quando os elementos começaram a  ficar mais e mais perturbados com a aproximação do cataclismo, Tyrande começou a ter visões de sua filha Shandris como estando em perigo.
Shandris não vivia em Teldrassil, mas sim na Ilha de Plumaluna na costa de Feralas.

Tyrande desejava ir buscar sua filha, mas Malfurion desaconselhou-a de tanto. Tyrande, como, de costume, seguiu seus instintos e partiu para o sul. Malfurion a acompanhou e ambos encontraram a ilha sob um pesado ataque das Nagas. 

Após lutar contra as forças Nagas e destruir sua líder, Tyrande encontrou sua filha, Shandris quase morta. Com uma prece desesperada a Eluna, Tyrande foi capaz de curar sua filha, salvando-a da beira da morte.

Quando Asa-da-Morte causou o Cataclismo os Kaldorei sofreram grandes perdas. E Tyrande retornou a Darnassus para presidir os funerais e ritos dos muitos mortos, especialmente na cidade portuária de Auberdine. 

Ruínas de Auberdine (Pós Cataclisma)
Ruínas de Auberdine (Pós Cataclisma)

Em luz da grande perda em vidas causada pelo Cataclismo, Tyrande reavaliou sua anterior decisão, não somente concedendo uma audiência a Mordent (líder dos shen’dralar) e admitindo a reintegração destes na sociedade Kaldorei, bem como abolindo a proibição do uso do Arcano, desde que praticado com responsabilidade.

Isso marcaria uma das mudanças  dogmáticas mais profundas na sociedade Kaldorei nos últimos 10.025 anos com a reintrodução da prática do Arcano entre os filhos das estrelas. 

 Ao ouvir das calamidades que recairam sobre Guilneas Tyrande ordenou aos Kaldorei navegar para Guilneas aonde as forças Kaldorei acabaram por resgatar os worgens guilneanos, incluindo Genn Greymane Rei de Guilneas.

Tyrande admitiu aos Guineanos refugiados em Darnassus e usou a Foice de Eluna para devolver permanentemente o controle de volta aos Worgens e em troca apenas pediu a ajuda dos worgens na guerra contra os orcs.

Com as consequências do Cataclismo assolando Azeroth Tyrande teve a percepção de que se a Aliança Desejava sobreviver não só a catástrofe mas também a recém formulada Horda sob Garrosh eles precisariam de Aliados e de um novo Líder. Eluna concedeu a Tyrande uma Visão na qual ela viu que o campeão de Goldrinn deveria ascender como líder da Aliança.

Tyrande convocou portanto um conselho dos líderes da Aliança no qual não apenas insistiu na entrada dos Worgens e Guineanos na Aliança, como expressou que a Aliança precisava de um Líder para guiá-los nesse novo mundo.

Ao mesmo tempo Garrosh, como novo Líder da Horda, imediatamente elevou as hostilidades em Vale Gris a um nível sem precedentes. Tyrande foi obrigada a reunir suas forças Sentinelas e mais o apoio de forças da Aliança e ela própria liderar o contra ataque.

A Batalha pelo Vale Gris foi não somente sangrenta, mas épica. Os Goblins haviam projetado máquinas de guerra formidáveis que criavam uma densa “Névoa de Guerra” que precedia os ataques da Horda. Tyrande foi a frente de batalha e usando o poder de Eluna foi capaz não só de dissipar a névoa, mas também cegar as forças da fronte da Horda.

Vale Gris
Vale Gris

Garrosh porém, não apenas havia antecipado a participação direta da Sacerdotisa, como era o que ele desejava que ocorresse. Uma vez que Tyrande estava exposta em campo canalizando o poder da Deusa, Garrosh soltou os Magnataur que a horda havia capturado em Nortúndria num ataque direto contra ela com o objetivo de neutralizá-la. Em meio ao caos causado pelo ataque Tyrande foi acertada por Orcs arqueiros e teve de ser levada para fora do campo de batalha. Sem a Vantagem da presença e poder da sacerdotisa a maré da batalha rapidamente virou contra a Aliança, até que Varyan Wrynn e os Worgens chegaram. 

Com a liderança de Varyan e a ferocidade dos Worgen as forças da Aliança foram capazes de rechaçar as forças invasoras da horda. E após o retorno das forças vitoriosas a Teldrassil Tyrande nominou Jarod, irmão de Maiev como co-general das forças militares Kaldorei juntamente a sua filha Shandris. (Jarod havia servido como líder da revolução durante a Guerra dos Ancientes, ele havia se auto exilado durante a Grande Vigília e apenas recentemente voltado. Sua esposa Shalasyr, havia desenvolvido uma rara doença como consequência do fim do pacto de Nordrassil, e Jarod havia tentado trazê-la a presença de Tyrande para que essa fosse curada, mas não houve tempo e esta morrera momentos antes da chegada de Tyrande). 

Após o que Tyrande compareceu a um novo conselho dos Líderes da Aliança onde a entrada de Guilnéas foi oficializada na Aliança, bem como Varian Wyrm formalmente se tornou Alto-Rei.

Apesar das contínuas hostilidades com a Horda, Tyrande esteve presente no casamento de Thrall e Aggra, após a Batalha contra as forças de Ragnaros, próximo ao fim do Cataclismo.

Casamento Aggra e Thrall
Casamento Aggra e Thrall

Siga a gente nas redes sociais:
✅ Instagram: www.instagram.com/apaladinawow
✅ Facebook: www.facebook.com/apaladinawow
✅ Twitter: twitter.com/apaladinawow
✅ Youtube: www.youtube.com/APáLadinawow
✅ Twitch: www.twitch.tv/apaladinawow

Frederico Tavella é jogador de World of Warcraft por mais de 10 anos, RPlayer mais de 8, Fanboy da Blizzard, Loremaster e permanentemente apaixonado pela lore dos diversos universos por ela criados.